• Central de Atendimento

  • central de atendimento(82) 3142-9892
  • Central de Atendimento

  • central de atendimento(82) 3142-9892

Você sabe qual o roteador ideal para a sua casa?

Você sabe qual o roteador ideal para a sua casa?

Poucos itens são tão necessários para a vida moderna quanto um roteador – aquele pequeno dispositivo usado para transmitir sua internet banda larga para toda a casa sem fios. Contudo, escolher o modelo ideal nem sempre é a tarefa mais fácil de todas.

O mercado está cheio de opções de roteadores, com versões que vão de R$ 90 até quase R$ 900. Fica difícil saber qual é o ideal para cada tipo de usuário se a sua função mais básica, que é reproduzir um sinal Wi-Fi, parece ser a mesma em todos eles.

Para acertar na escolha do roteador na hora da comprá-lo é necessário prestar atenção em três coisas, o padrão do roteador, a velocidade da internet que você contratou e o tamanho da sua residência.

Padrão do Roteador

Há alguns detalhes que você precisa se atentar antes de comprar um roteador, um deles é aquela estranha numeração, seguida de uma ou mais letras, destacada na embalagem de qualquer modelo: 802.11. Todo roteador vem com esse número, mas o que importa mesmo é a letra que vem depois dele.

Trata-se do protocolo usado pelo roteador para espalhar Wi-Fi ao seu redor. As primeiras gerações usavam o padrão B (identificado pela sequência 802.11b), seguidas pelos padrões G, N e, mais recentemente, pelo AC. Quanto mais moderno o protocolo usado pelo roteador, melhor ele é.

Um roteador 802.11ac, por exemplo, é capaz de oferecer velocidades muito maiores de acesso à internet,  podendo transmitir dados até 1.300 Mbps, manter a conexão estável em mais dispositivos ao mesmo tempo (seu celular, seu notebook e sua Smart TV, por exemplo) e alcançar áreas maiores também.

Isso não significa que você pode simplesmente correr até a loja e comprar o roteador mais barato com padrão AC que encontrar. Não basta que o roteador use o protocolo 802.11ac, é preciso que o seus dispositivos também tenham suporte a esse padrão mais recente. Antes de comprar um desses, portanto, verifique se seu smartphone, sua TV e seu PC estão preparados para essa conexão.

Frequência de transmissão

A grande maioria dos roteadores encontrados nas lojas trabalham com a frequência de 2,4 GHz. Isso pode ser um problema para as pessoas que moram em prédios que possuam muitas redes Wi-Fi. Em média, cada roteador pode trabalhar em 16 canais diferentes mas, se vários roteadores trabalharem no mesmo canal, poderá ocorrer interferência e o sinal da rede será prejudicado causando oscilações na sua conexão com a internet.

Para que isso não ocorra é recomendável escolher roteadores que trabalham em duas frequências: 2,4 GHz e 5 GHz. Apesar de serem um pouco mais caros eles evitam que o sinal perca eficiência e seja prejudicado por interferências de outros roteadores ou aparelhos domésticos, como o micro-ondas e telefones sem fio.

Outra dica é rodar um software, como o Wireless Wizard, que faz uma varredura em todas as redes Wi-Fi disponíveis. Com ele é possível saber a frequência e qual canal cada rede detectada está trabalhando. Sabendo essas informações, basta configurar o roteador para trabalhar no canal que possui menos roteadores em funcionamento, para reduzir as interferências externas.

Velocidade da Internet

Não adianta você contratar um plano de internet de 50 ou 100  Megas e a velocidade de transmissão de dados do seu roteador não conseguir passar a banda de internet contratada, portando, dê preferência a roteadores que ofereçam uma velocidade máxima condizente com a internet contratada por você.

Mesmo que você encontre roteadores de padrão B ou G mais baratos, não é recomendável que você invista dinheiro neles. Esses modelos já são, em sua maioria, ultrapassados, e, além de não oferecer a melhor das conexões, também deixam a desejar no quesito segurança, deixando sua rede vulnerável a ataques hackers não muito sofisticados.

Isso não quer dizer que é preciso gastar rios de dinheiro num roteador. Um modelo de qualidade, para a maioria dos usuários, pode custar entre R$ 100 e R$ 250. Entre as marcas mais confiáveis estão a Intelbras, D-Link, a TP-Link e Asus, que têm tradição nesse mercado. A Linksys também tem ótimas opções, embora seus produtos sejam voltados aos usuários mais exigentes e com mais dinheiro para gastar.

Tamanho da casa

Outro item determinado pelos padrões de conexão  B, G, N e AC é o alcance do sinal propagado pelo roteador. A maioria dos aparelhos têm o limite de mais de 100 metros, porém paredes e outros obstáculos diminuem o alcance.

Se sua casa for muito grande ou possuir mais de um andar é aconselhável usar roteadores interligados, fazendo assim com que o sinal cubra toda a área.

Outra questão é o melhor lugar para colocar o seu roteador. Para maximizar a eficiência, é aconselhável que instale o aparelho em um ponto alto onde esteja mais próximo a todos os cômodos da casa, como em um corredor que dá acesso à sala e aos quartos, por exemplo.

Agora que você já tem as informações necessárias para escolher o roteador para sua casa, na hora da compra vale a pena pesquisar com cuidado, prestar atenção a cada detalhe do modelo e não se deixar convencer pela embalagem bem feita.

Já deu uma olhada nos planos de banda ultralarga da Prestek Net? Clica aqui.